18 de October de 2023 -

Caminhoneiro do futuro; o que é preciso para continuar na profissão

O caminhoneiro é um dos profissionais mais importantes do Brasil. Segundo estudo da Fundação Dom Cabral, 75% da produção brasileira é transportada por rodovias. Além disso, a Agência  Nacional do Transporte Terrestre (ANTT) revela que no País há mais de 900 mil caminhoneiros autônomos. Outro dado relevante é que os caminhões têm cada vez mais soluções eletrônicas. Porém, para tirar o melhor proveito dessas soluções o caminhoneiro precisa se capacitar.
Caso contrário, vai ter dificuldade de disputar vagas com salários maiores. No mesmo sentido, o frete continua sendo pressionado pelas altas de custos. Portanto, o caminhoneiro terá de se atualizar cada vez mais. Segundo o assessor-executivo da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Marlon Maues, isso é para ontem. Assim, quem não reunir características básicas pode não conseguir continuar na profissão. A CNTA reúne mais de 800 profissionais. O Estradão conversou com o executivo da CNTA. Segundo Maues, o caminhoneiro autônomo tem uma empresa sobre rodas. Portanto, ele diz que é preciso saber gerenciar. Sem isso, não dá para manter a boa saúde financeira do negócio. Ou seja, para conseguir manter o rodando e dando lucro.

Caminhoneiro tem de conhecer o caminhão

Neste sentido, conhecer bem a operação do caminhão é fundamental. Além disso, ele vai precisar ser organizado. Com isso, pode garantir a disponibilidade do caminhão. Bem como a redução dos custos de operação. Para isso, um bom caminho é cuidar da manutenção, sobretudo a preventiva. Do mesmo modo, deve conhecer as leis. Além da legislação de trânsito, é preciso ter noções de regras fiscais e trabalhistas. Todos impactam diretamente o dia a dia do caminhoneiro. É o caso da Lei do Descanso, por exemplo. Outros tema importante é conhecer a carga que está sendo transportada. Bem como entender sua responsabilidade em questões ambientais. Ou seja, isso quer dizer, por exemplo, os cuidados com o descarte adequado de resíduos. É o caso de pneus e lubrificantes, por exemplo.

Habilidade de negociar

De acordo com o Maues, isso também interfere na capacidade de negociação. O caminhoneiro autônomo com conhecimento sobre esses temas tem argumentos para negociar fretes mais altos. Bem como condições de trabalho e formas de pagamento mais favoráveis. “O caminhoneiro do futuro terá de saber exatamente qual será o custo da operação. Com isso, poderá negociar melhor o frete.”

Atitude

Quem tem conhecimento e habilidades adota atitudes mais positivas. Desta maneira, um caminhoneiro bem preparado consegue sempre mostrar seu real valor ao contratante. Isso fará com que o seu serviço seja mais respeitado e bem remunerado. “O caminhoneiro do futuro terá a atitude de não se menosprezar. Assim, dificilmente aceitará valores abaixo do custo profissional.” Na visão de Maues, esse profissional terá uma visão sistêmica. Ou seja, enxergará com mais clareza a importância de atitudes que enriquecem o seu negócio. Caso contrário, correrá o risco de não conseguir se manter na estrada.