24 de April de 2023 -

Como funciona o transporte multimodal?

O transporte multimodal conta com duas ou mais modalidades de transporte para cumprir o trajeto definido na movimentação de cargas.

Quando uma operação logística é planejada, existem muitas possibilidades de rotas para que o transporte seja realizado e a mercadoria chegue ao seu destino final.

Em algumas delas, se faz necessário o uso de diferentes modais de transporte. Nestes casos, a categoria multimodal atende à demanda com eficiência, agilidade e valores acessíveis.

Pensando na importância desse método logístico, desenvolvemos este artigo para compartilhar alguns pontos importantes sobre essa categoria de transporte.

Veja o que você vai encontrar neste conteúdo:

  • dicas para escolher um bom operador de transporte;
  • diferença entre transporte intermodal e multimodal;
  • principais modais de transporte do Brasil;
  • vantagens e desvantagens do método;
  • como a operação funciona.

Siga a leitura para conferir tudo isso e muito mais!

O que é transporte multimodal? Como ele funciona?

O transporte multimodal é aquele que utiliza mais de um modal de transporte para realizar o deslocamento de cargas de um ponto a outro.

Nestes casos, a responsabilidade dessa movimentação é toda de um operador logístico, chamado de Operador de Transporte Multimodal, também conhecido pela sigla OTM.

Dessa forma, garante-se que toda a rota planejada seja agregada em um mesmo contrato, estabelecendo todas as atribuições a um único operador.

Esse contrato é representado por um documento fiscal, chamado de CTMC (Conhecimento de Transporte Multimodal de Cargas), que passa a ser também o acordo de prestação de serviços.

A partir dele, não há a necessidade de emitir um registro diferente para cada modal utilizado no transporte de cargas.

Só essa praticidade já é um grande benefício, mas a categoria traz inúmeras vantagens e contribui para otimizar os processos de entrega da sua empresa.

Ao longo deste conteúdo, apresentaremos essas vantagens e explicaremos tudo sobre a técnica, mas antes vamos conferir um exemplo prático.

Exemplo de transporte multimodal

Para que você possa entender com clareza como funciona a operação logística pela categoria multimodal, trouxemos um exemplo prático do processo multimodal.

Vamos imaginar o transporte de uma carga para fora do país. Nestes processos, a locomoção de commodities, como a soja, se beneficia muito do método multimodal.

Como o destino final é outro país, não é possível utilizar apenas o modal rodoviário, por exemplo.

Nestes casos, uma boa opção é transportar a mercadoria por caminhão até o aeroporto e então seguir com o modal aéreo até o destino internacional.

Ao escolher a operação multimodal, os dois meios de transporte ficam sob responsabilidade do OTM e todos os detalhes da operação são acordados no CTMC.

Na prática, como funciona a logística de transporte multimodal?

O objetivo prático do transporte multimodal é otimizar entregas e reduzir não só os custos, mas o tempo de cada processo.

Ao usar uma combinação de diferentes meios de transporte, você pode mover mercadorias com mais rapidez e eficiência do que com um único meio.

Aqui no Brasil, temos exemplos de situações em que o multimodal é indispensável.

Regiões da bacia amazônica só podem ser acessadas por meio de barcos. Então, usar ao menos um modal terrestre e um aquaviário será necessário para concluir determinadas entregas.

Outro uso prático de multimodais é para as entregas chamadas last mile (última milha), que têm sido cada vez mais comuns.

Nesse exemplo, podemos citar uma entrega que chega a um ponto pelo modal ferroviário e, de lá, é distribuída por meio rodoviário até os destinos finais.

Essas conexões entre modais distintos favorecem a redução dos tempos de entrega e, se bem planejadas, podem ser mais em conta.

Para isso, é importante contar com parcerias que ofereçam serviços de transporte multimodais para traçar suas estratégias.

Aposte também em tecnologias de rastreamento, como etiquetas GPS ou RFID, que podem garantir que as mercadorias permaneçam seguras durante toda a jornada intermodal.

Ao aproveitar a logística de transporte multimodal, você pode economizar tempo e dinheiro, garantindo a entrega eficiente de seus produtos.

Quais as características do transporte multimodal?

Agora que já conseguimos entender bem como essa modalidade de transporte funciona, é importante saber também que ela apresenta características exclusivas.

Essas particularidades são as principais motivadoras para tornar o método multimodal tão eficiente.

Confira abaixo algumas das características que permeiam o conceito do transporte realizado com mais de um modal:

  • etapas do processo sob responsabilidade de um operador especializado;
  • emissão de apenas um documento fiscal para todos os modais;
  • uso de dois ou mais modais de transporte;
  • contrato de transporte multimodal único.

Na prática, esses fatores são grandes aliados na otimização da operação logística de uma empresa como um todo.

Qual o objetivo do transporte multimodal de cargas?

O principal objetivo da modalidade multimodal é otimizar o transporte de cargas, simplificando os processos e trazendo agilidade para as entregas.

Como falamos, nem sempre é possível levar uma mercadoria até o ponto de destino com o uso de apenas um meio de transporte.

Nessas situações, é preciso encontrar soluções eficientes para atender a todos os trechos e cumprir os prazos de entrega. Tudo isso sem prejudicar a segurança da carga.

A técnica multimodal existe exatamente para atender a essa demanda.

Com ela, é possível promover um processo logístico de qualidade para todos os trechos do percurso, independente do modal utilizado.

Os modais de transporte existentes do país

Para conhecer o processo de transporte multimodal no Brasil, é necessário conhecer também os tipos de modais disponíveis para executar essa operação.

A seguir, listamos os modais de transporte existentes no Brasil e as principais características de cada um deles. Confira abaixo.

Rodoviário

O modal rodoviário é o mais utilizado no país. Feito por carretas, caminhões, carros e vans, a modalidade oferece versatilidade ao permitir o transporte de diversos tipos de cargas.

Além disso, a malha rodoviária do Brasil é bem extensa, permitindo um grande alcance de rotas para entregas.

Apesar dessas vantagens, o transporte rodoviário também apresenta alguns pontos negativos.

Dentre eles, a condição precária de muitas estradas é um fator a se atentar, pois aumenta o risco de acidentes e os custos com a manutenção dos veículos.

Ferroviário

O modal ferroviário é realizado pelas vias férreas, por meio de trens. Apesar de ser muito eficiente no transporte de cargas mais volumosas a longas distâncias, ele ainda não é tão popular no país.

Isso porque não há tanto investimento nas linhas ferroviárias, o que reduz a amplitude das rotas atendidas.

Hoje, esse meio é mais utilizado no deslocamento de produtos agrícolas e cargas a granel.

Aéreo

O modal aéreo utiliza aviões para fazer o transporte de cargas. Esse método é muito comum para as entregas urgentes ou no caso de deslocamento de cargas de alto valor agregado.

A grande vantagem aqui é a agilidade e a segurança dos aviões, que conseguem cobrir longas distâncias em um curto espaço de tempo.

Contudo, a rapidez também representa um aumento no custo da operação logística, por isso esse método de transporte ainda fica atrás do modal rodoviário.

Aquaviário

Como o nome já revela, o modal aquaviário é o transporte realizado na água. Ele pode acontecer em lagos, rios ou pelo mar, utilizando barcos e navios.

Assim como o aéreo, ele é um ótimo método de transporte para longas distâncias. A vantagem aqui está no volume da carga: navios tem uma capacidade para transportar uma quantidade maior de mercadorias.

O custo dessa operação costuma ser inferior ao modal aéreo, mas vale destacar que o tempo de entrega é maior.

Dutoviário

O modal dutoviário usa tubos e dutos para fazer o transporte de cargas, normalmente gases e líquidos, como o petróleo, por exemplo.

Uma das características mais vantajosas desse método é a capacidade de atender a longas distâncias e o baixo custo operacional.

Apesar disso, os trajetos são fixos, o que limita as rotas de transporte.

Apesar de toda a eficiência, essa modalidade ainda tem algumas limitações quando pensamos no cenário brasileiro.

Recentemente, a ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) realizou o estudo “Obstáculos Regulatórios ao Transporte Multimodal” para entender quais são os entraves que impedem o crescimento desse método logístico.

Os dados obtidos apontaram quatro principais problemas enfrentados pela multimodalidade nos dias de hoje. Confira quais são eles:

  • falta de terminais de transbordo no país;
  • situação da infraestrutura viária;
  • entraves burocráticos;
  • barreiras tributárias.

Com a análise dos pontos de dificuldade, o relatório trouxe um novo olhar para a modalidade multimodal e já impulsionou ações para a ampliação dessa técnica no Brasil.

Transporte multimodal: vantagens e desvantagens

Até esse ponto do artigo, já conseguimos enxergar as principais vantagens da multimodalidade, certo?

Entretanto, assim como em todas as outras modalidades de transporte, o multimodal também apresenta seus pontos negativos.

Para quem está planejando todo o processo de entrega, é importante colocar na balança os benefícios e as desvantagens de cada método para encontrar aquele que melhor atende às necessidades da empresa.

Pensando nisso, listamos as principais vantagens e desvantagens do sistema multimodal.

Vantagens

Começando pelas vantagens, existem alguns pontos bem interessantes que podemos destacar sobre a multimodalidade.

Veja a seguir os principais benefícios da modalidade para a sua operação logística:

  • responsabilidade centralizado em um operador;
  • facilidade no monitoramento do transporte;
  • maior eficiência energética e de entrega;
  • praticidade burocrática e comercial;
  • menor preocupação com a carga;
  • processos mais ágeis;
  • redução de custos.

Desvantagens do transporte multimodal

As principais desvantagens estão relacionadas ao processo burocrático e às regulamentações por trás do método multimodal.

É importante ficar atento a elas para evitar qualquer tipo de problema durante o processo logístico.

Confira a seguir alguns pontos negativos desse tipo de transporte:

  • é preciso ter conhecimento sobre os regulamentos internacionais para evitar problemas;
  • atender a diferentes requerimentos de segurança de várias autoridades;
  • fiscalizações frequentes nos terminais de cargas.

Transporte intermodal e multimodal: quais as diferenças?

Assim como o transporte multimodal, o intermodal também utiliza mais de um modal para realizar a movimentação de cargas. Contudo, existem diferenças entre os dois métodos.

Dentre elas, a principal é a relação de contratação dos serviços. No caso do meio multimodal firma-se apenas um contrato para os diferentes tipos de transporte utilizados no trajeto.

Já na categoria intermodal, é preciso fechar um contrato diferente para cada modal utilizado durante a rota de entrega.

Imagine que você precisa usar o modal rodoviário em um trecho e depois percorrer outro pelo modal aéreo.

Caso escolha fechar o serviço pelo método intermodal, deverá firmar um contrato com a transportadora responsável pela frota de caminhões e outro acordo diferente com a empresa encarregada pelo transporte aéreo.

Além disso, é preciso emitir um novo CTe (Conhecimento de Transporte Eletrônico) a cada troca de veículo realizada durante o percurso.

No multimodal, existe apenas um contrato para os dois transportes, firmado com o operador de transporte multimodal.

Esse profissional deve estar devidamente habilitado pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

Vamos explicar mais sobre ele a seguir, então continue a leitura com a gente.

Qual dos dois sistemas é mais vantajoso?

Antes de compreendermos qual dos dois pode ser mais vantajoso, é ideal olhar do ponto de vista de quais modais irão dar conta do serviço de forma eficiente.

A depender do tipo da carga, o tempo disponível e os custos envolvidos, uma opção poderá ser mais interessante que a outra.

Portanto, é importante ter o contexto amplo da logística para levantar todos os processos e assim determinar quais modais farão sentido para a operação.

Por vezes, vale a pena aumentar custos para que a entrega seja feita mais rápido. Porém, esta é uma análise feita previamente e caso a caso.

Outro fator crucial para essa decisão é avaliar quais serão os operadores do transporte, seja ele intermodal ou multimodal.

O que avaliar ao escolher um operador de transporte multimodal?

Antes de contratar um operador de transporte, é preciso saber as características e atribuições desse profissional.

Segundo a lei 9.611/1998, que regulamenta todo o processo multimodal, o operador deve ser pessoa jurídica, transportadora ou não, devidamente habilitada pela ANTT.

A legislação ainda define os serviços que ficam sob responsabilidade do operador. Além do transporte, ele deve fazer a coleta, unitização e armazenagem da mercadoria até a entrega ao destino final.

É ele quem vai lidar com as diferentes transportadoras envolvidas no fluxo da operação logística, desde a origem até o local de entrega.

Com isso em mente, veja o que você deve avaliar para escolher um operador qualificado:

  • para transportes de carga internacional, o operador deve ter licença pela Receita Federal;
  • observe a regularidade da habilitação obtida pela ANTT;
  • verifique a experiência do profissional no mercado;
  • confira as certificações da empresa operadora.

Otimize suas operações com o TOTVS Roteirização e Entregas

Para que uma operação logística seja bem sucedida, é preciso contar com um bom planejamento de rotas como base para todas as etapas.

Esse planejamento vai ajudar a identificar os melhores meios de transporte para cada rota.

Neste contexto, a tecnologia entra como uma grande aliada.

E, quando o assunto é transporte rodoviário, você pode contar com o TOTVS Roteirização e Entregas!

Trata-se de um sistema que ajuda o seu negócio a encontrar o trajeto mais vantajoso para cada entrega.

A ferramenta faz uma análise completa dos pontos de entrega, da distância entre os pontos e das restrições logísticas com base nos dados de cada pedido.

Dessa forma, você consegue otimizar os processos e reduzir os custos da operação em até 30%.

Tudo isso com possibilidade de integração com ERPs para simplificar ainda mais a gestão logística do seu negócio.

Use a tecnologia do TOTVS Roteirização e Entregas para aumentar a eficiência das suas entregas!

Conclusão

Como aprendemos ao longo deste conteúdo, o sistema multimodal é uma ótima opção para garantir processos mais eficientes nas entregas.

O uso de mais de um modal de transporte pode ser necessário em diversas situações, por isso entender como funciona a multimodalidade é essencial para um bom planejamento de rotas.

Na prática, o método tem suas vantagens e desvantagens, e ainda enfrenta alguns entraves no cenário brasileiro, como vimos neste artigo.

Ainda assim, a modalidade traz inúmeros benefícios para o transporte de cargas e contribui diretamente para uma operação logística mais ágil, prática e segura.

Com um bom planejamento de rotas, todos esses benefícios podem ser aproveitados da melhor forma possível.