14 de February de 2024 -

PRF elenca as vias com maior número de sinistros e com maior número de mortes 2023

Vocês sabem quais foram as vias com maior incidência de sinistros e mortes em 2023? No começo do mês, a Policia Rodoviária Federal (PRF) apontou as cinco rodovias federais do Brasil com maior número de sinistros de trânsito e também, as cinco com o maior número de mortes. No ranking dos acidentes, segundo a PRF, a campeã de é a BR-101, com 8.536 ocorrências registradas entre janeiro e setembro deste ano. Na segunda posição aparece a BR-116, com 7.979 ocorrências, seguida pelas BR-381 (2.414); BR-040 (2.316) e BR-153 (1.869). Já o ranking das rodovias mais letais, a rodovia que lidera é a BR-116, com 559 mortes registradas entre janeiro e setembro de 2023. Na segunda posição aparece a BR-101, com 487 óbitos, seguida pela BR-163, que registrou 204 mortes. Nova alta Em números gerais, o ano de 2023 apresentou altas tanto em acidentes sem vítimas, como em acidentes letais. Porém, os números de mortes são os que mais preocupam. De janeiro a outubro de 2023, 4.633 pessoas morreram em 55.464 sinistros nas rodovias federais. No mesmo período do ano passado foram registradas 4.552 mortes em 53.503 sinistros. Uma curiosidade, é que, quatro das cinco rodovias com mais incidência de mortes, passam pelo Estado de Minas Gerais. O diretor científico da Associação Mineira de Medicina do Tráfego (Ammetra), Alysson Coimbra, comentou sobre os dados apresentados pela PRF: “O número de mortes e sinistros em 2023 superou o de 2022 e isso é inaceitável, estamos caminhando na direção contrária à meta estipulada pela ONU de redução de, pelo menos, 50% de lesões e mortes no trânsito, até 2030”, analisou. De acordo com o diretor, a segurança viária precisa ser encarada como uma política pública que salva vidas: “políticas nesse sentido reduzem o uso dos já escassos recursos do SUS e diminuem os custos do governo com a previdência. Cada vida perdida no trânsito impacta diretamente a economia do país”, comentou. Vias sucateadas Sinistros de trânsito são causados, majoritariamente, por fatores humanos como a desatenção e a imprudência, mas as condições estruturais da malha viária potencializam essas ocorrências. A mais recente pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) revelou que a conservação de 67,5% da malha viária é classificada como regular, ruim ou péssima. “O sucateamento das rodovias vai muito além dos buracos e da péssima qualidade do asfalto. Falta sinalização adequada, um controle sequencial de velocidade nos pontos com maior número de sinistros e uma normatização para o tráfego de veículos pesados, que são os que causam os sinistros mais letais”, avalia o especialista. De acordo com Coimbra, políticas de melhorias pensando exclusivamente em veículos pesados, são importantes para a redução de mortes: “65% da carga do país é transportada pelas rodovias, é preciso considerar esse número na elaboração de ações para garantir a segurança nas estradas, como a construção de áreas de escape em trechos críticos, a criação de corredores exclusivos e a limitação de horário para o tráfego de cargas especiais”. Tragédias constantes Minas Gerais tem a maior malha rodoviária do Brasil e tem sido palco, nos últimos meses, de graves sinistros de trânsito, como o que deixou 6 mortos na BR-381, em 27 de novembro, e o que matou 7 torcedores do Corinthians, em agosto, no mesmo trecho da rodovia. No último dia 5, o cantor Zé Neto, ficou ferido em um sinistro ocorrido na BR-153, em Minas. A série de sinistros revela a urgência em adotar medidas para garantir a segurança dos usuários das vias. “No caso de Minas, a BR-040 tem um problema grave que é tráfego intenso de veículos pesados que transportam minério. Na Fernão Dias há uma falha da concessionária em adotar medidas para mitigar esses acidentes relacionados também a falhas mecânicas em veículos de grande porte”, pontua Coimbra. O especialista destaca que a gestão pública do trânsito precisa contar com a previsibilidade do erro: “Já sabemos que o fator humano está relacionado a 90% dos sinistros, então temos que adotar medidas para que as rodovias perdoem essas falhas humanas. Esse conceito de rodovia que perdoa engloba ações como a sinalização adequada, tanto horizontal quanto vertical; qualidade do asfalto; instalação de defensas metálicas adequadas; modificações no traçado da via e outras ações que possam minimizar a gravidade dos ferimentos e o risco de mortes, como áreas de escape”, completa. Confira abaixo os rankings das rodovias com maior número de sinistros e com o maior número de mortes em 2023: Rodovias com o maior número de acidentes em 2023 BR-101: 8.536 BR-116: 7.979 BR-381: 2.414 BR-040: 2.316 BR-153: 1.869 Ranking das rodovias com o maior número de mortes em 2023 BR-116: 559 BR-101: 487 BR-163: 204 BR-153: 177 BR-040: 151 Meninas, a segurança no trânsito é um assunto muito importante, que cabe a nós, enquanto motoristas e usuários da via e também, aos órgãos públicos e entidades ligadas ao trânsito, que precisam criar mecanismos que aumentem a segurança de motoristas, passageiros e pedestres. Ter cuidado e atenção ao dirigir é primordial para um trânsito mais seguro. Acidentes ou situações de risco fazem parte do dia a dia de quem trabalha na estrada, então, seja prudente e faça sempre a sua parte. Agora, queremos saber: Costuma passar por essas rodovias? Já presenciou algum acidente nesses pontos? Conta para a gente! Até a próxima! Repost: O Movimento A Voz Delas